Orquestra Sinfônica de Indaiatuba abre Temporada 2021

Cultura

A Orquestra Sinfônica de Indaiatuba, sob a regência do maestro Paulo de Paula, abre a Temporada 2021 neste domingo (28) às 20 horas. O concerto será transmitido ao vivo da Sala Acrísio de Camargo, no Centro Integrado de Apoio à Educação de Indaiatuba (Ciaei), pelas plataformas digitais da orquestra, marcando o retorno das atividades em um novo formato, seguindo todos os protocolos de saúde e sem a presença de público.

Neste primeiro concerto serão apresentadas obras para orquestra de cordas que vão do nacional ao clássico, com a participação especial do violinista Emmanuele Baldini, spalla (primeiro-violino) da Osesp (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo), que vai solar o ‘Concerto em Sol Maior’, de Joseph Haydn, junto com a Sinfônica.

“Para este ano estamos programando uma linda temporada”, comenta o maestro e diretor artístico Paulo de Paula. “Não sabemos ainda quando teremos o público novamente no teatro conosco, mas estamos muito otimistas com o que está por vir. Seja da tela da TV, do computador ou do celular, o público poderá prestigiar uma temporada de altíssima qualidade, com grandes concertos. Em breve, estaremos juntos novamente no teatro”.

Convidado

Emmanuele Baldini é o spalla da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e membro do Quarteto de Cordas Osesp. Em 2017, recebeu o prêmio de Melhor Instrumentista da APCA – Associação Paulista dos Críticos de Arte.

Venceu o primeiro concurso internacional aos 12 anos de idade e, mais tarde, o Virtuositè de Genebra e o primeiro prêmio do Fórum Junger Künstler de Viena. Apresentou-se em recitais nas principais cidades italianas e europeias e participou de longas turnês pela América do Sul, Estados Unidos, Europa, Austrália e Japão.

Gravou as sonatas de César Franck e Albéric Magnard; os Duetos para dois Violinos e Sonatas para Violino e Violoncelo de Giovanni Battista Viotti e um CD com obras virtuosísticas de Niccolò Paganini, além das obras de Giuseppe Martucci e os Caprichos para Violino solo de Pietro Locatelli. Em 2007, lançou o CD Virtuoso com obras para violino e piano de Pablo de Sarasate, Fritz Kreisler, Giuseppe Tartini, Francisco Mignone, entre outras.

Foi spalla da Orquestra do Teatro Comunale de Bolonha e no Teatro Giuseppe Verdi de Trieste, atuando também como concertino na Orquestra do Teatro alla Scala, de Milão.

Como solista, tocou com a Rundfunk Sinfonieorchester Berlin, a Orchestre de la Suisse Romande, a Wierner Kammerorchester, a Flanders Youth Philharmonic Orchestra, a Orquestra Estatal da Moldávia e a Orquestra do Teatro Giuseppe Verdi de Trieste. Sobre ele, o maestro italiano Claudio Abbado escreveu: “Fiquei impressionado com sua qualidade musical e com tamanha habilidade técnica”.

Nascido em Trieste, Itália, iniciou os estudos de violino com Bruno Polli e em seguida aperfeiçoou-se na classe de virtuosidade de Corrado Romano em Genebra, com Ruggiero Ricci em Berlim e Salzburgo e, em música de câmara, com o Trio de Trieste e com Franco Rossi, violoncelista do Quartetto Italiano.

Obras

Além do solo de Baldini em ‘Concerto em Sol Maior’, de Joseph Haydn, a apresentação contará com outras grandes obras. ‘Quatro Momentos nº 3’ foi escrita em 1979 pelo carioca Ernani Aguiar e nela o compositor busca reproduzir as sonoridades (e porque não a energia) de algumas danças pernambucanas bastante representativas como o maracatu e os cabocolinhos. A peça foi dedicada à Cesar Guerra-Peixe, professor de Aguiar, e grande entusiasta de uma música com características brasileiras.

‘O Andante Cantabile’, de Tchaikovsky, pertence originalmente ao Quarteto de Cordas nº 1 do compositor russo. Devido a sua beleza e também ao fato de ser facilmente transposta para orquestra de cordas, a peça ganhou vida própria, sendo hoje apresentada por orquestras do mundo todo.

Ao longo de 2020, a Orquestra Sinfônica de Indaiatuba manteve sua temporada através de concertos gravados remotamente pelos músicos e exibidos em uma série virtual. Trabalho reconhecido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo em dezembro, com o primeiro lugar do Prêmio por Histórico de Realização em Música do ProAc (Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo) Expresso LAB (Lei Aldir Blanc).

Foto: Divulgação/Fernando Ruz

Deixe uma resposta