Pesquisa do Detran revela que excesso de velocidade é a principal infração de motoristas suspensos

Cidades

Um levantamento revelou que 46% dos motoristas que tiveram a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa admitem ter cometido a infração por excesso de velocidade. Destes, 43% estão na faixa etária entre 25 a 39 anos e 72% possuem habilitação há mais de 10 anos, ou seja, são considerados condutores experientes. Os dados fazem parte da pesquisa de perfil da Escola de Trânsito do Detran-SP, aplicada no Curso de Reciclagem de Condutor Infrator, que envolveu 18.171 alunos entre 2017 e 2020.

O levantamento aponta ainda que 32% dos alunos do curso de reciclagem que responderam à pesquisa possuem ensino superior completo. Quando perguntado qual infração de trânsito o aluno sabe que mais comete, 7.084 admitiram excesso de velocidade (46,2%), 2.092 por estacionar ou parar em local proibido (13,6%), 404 por avançar o sinal vermelho (2,6%) e 395 por usar o celular enquanto dirige (2,5%).

De acordo com o diretor-presidente do Detran-SP, Ernesto Mascellani Neto, a falta de respeito à sinalização e com o próximo é a principal causa de acidentes e mortes nas vias. “A pesquisa ressalta a importância de atuarmos na conscientização e educação dos motoristas, inclusive junto aos reincidentes, medida esta que estamos intensificando com nossas campanhas de prevenção. Para se ter uma ideia, 94% das vítimas fatais no trânsito são fruto de falha humana”, afirma.

CNH suspensa e cassada

O motorista pode perder o direito de dirigir de duas maneiras: habilitação suspensa, quando supera 20 pontos na carteira ao longo de um ano, ou quando comete uma ou mais infrações consideradas como auto suspensivas, como participar de racha, dirigir embriagado ou fugir do local do acidente. A habilitação também pode ser cassada quando o condutor que tiver sido suspenso do direito de dirigir for abordado conduzindo veículo, reincidências graves ou quando o condutor for condenado judicialmente por delito de trânsito.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta