Campinas passa para a fase vermelha a partir desta segunda

Cidades

Campinas passou para a Fase 1 Vermelha, conforme determinação do Plano São Paulo, do governo do Estado de São Paulo. A medida, que entra em vigor nesta segunda-feira (6), permite o funcionamento somente das atividades essenciais, voltando a valer o que foi estabelecido no dia 21 de março, pelo decreto 20.782. A cidade permanecerá nesta fase até nova avaliação.

São consideradas atividades essenciais e que poderão funcionar na Fase Vermelha: assistência à saúde, incluindo serviços médicos, hospitalares e de óticas; serviços de segurança privada; transporte de passageiros por táxi ou aplicativo; serviços de alimentação, como restaurantes, bares e congêneres, por entrega (delivery) ou retirada (drive thru); padarias, supermercados, atacadistas e comércios que vendam gêneros alimentícios e produtos de limpeza; farmácias; serviços bancários, incluindo casas lotéricas; indústrias e fábricas, com a capacidade máxima de 30% nos refeitórios; hotéis, pousadas e outros meios de hospedagem; lavanderias e serviços de limpeza; entregas em geral; transportadoras, postos de combustíveis e derivados, armazéns, oficinas de veículos automotores, borracharias e serviços congêneres; construção civil com contratos para obras essenciais em vigor com a administração pública; veterinárias e pet; manutenção predial, elétrica ou hidráulica; lojas de materiais de construção; comércio de insumos para oficinas mecânicas; comércio de bens e serviços automotivos; abastecimento e logística de agropecuária e a agroindústria; serviços de entrega (delivery) ou retirada (drive thru) em geral; assistência técnica de eletroeletrônicos;  atividades internas em comércios, escritórios e prestadores de serviço, sem atendimento a clientes e os hospitais privados continuam proibidos de realizar cirurgias eletivas, até nova decisão e os serviços da Administração pública.

Os templos religiosos poderão permanecer abertos, com 20% da capacidade. mas maiores de 60 anos e pessoas com doenças prévias, não devem ir. A recomendação é de que os cultos sejam virtuais.   

Para quem descumprir as medidas, seja o de abrir ou não seguir as regras sanitárias, haverá multa de 400 UFICs, o que equivale a R$ 1.446,44. Em caso de reincidência, a multa dobra, e na terceira autuação o estabelecimento é fechado enquanto durar a quarentena.

Campinas tem ocupação de 87,07% dos leitos de UTI-Covid

Campinas conta com 379 leitos de UTI exclusivos para pacientes com Covid-19 nas redes pública e particular. Na sexta-feira (3), deste total, 330 estão ocupados, o que corresponde a 87,07%. Há 49 leitos livres somando as redes pública e particular.  

Os leitos estão divididos da seguinte forma: 

 SUS Municipal: 145 leitos, dos quais 141 estão ocupados, o que equivale a 97%;

 SUS Estadual (AME + HC da Unicamp): 76 leitos, dos quais 65 estão ocupados, o que corresponde a 86%;

 Particular: 158 leitos, dos quais 124 estão ocupados, o que equivale a 78%.

Foto: Divulgação/PMC

Deixe uma resposta