“E se insistir vamos ter que autuar e partir para uma possível interdição”, afirma Gaspar

Cidades

Segundo a administração municipal, estabelecimentos estão cometendo abusos, e a população pode denunciar os comércios não essenciais que estão abertos em Indaiatuba através do WhatsApp

Após o decreto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicado no último dia 11, flexibilizando o comércio, incluindo salões de beleza, barbearias e academias de esportes na lista de “serviços essenciais”, várias prefeituras do interior de São Paulo, editaram decretos municipais também autorizando as atividades. O prefeito de Indaiatuba Nilson Gaspar (MDB) não editou decreto municipal liberando essas atividades no município.

O vice-governador Rodrigo Garcia (DEM) afirmou que o decreto presidencial foi feito sem respeitar a ciência e a saúde e na quinta-feira (14) foi publicada uma alteração no decreto estadual da quarentena, em vigor desde 24 de março, acrescentando as atividade dos salões de beleza e barbearias ao texto anterior que já informava que as academias não poderiam funcionar nos 645 municípios paulistas.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Regional do governo João Doria (PSDB) e presidente do PSDB de São Paulo, Marco Vinholi, parte dos decretos municipais é alvo de processos em tramitação na Justiça, que questionam a sua legalidade.

Segundo a administração municipal, a população pode denunciar os comércios não essenciais que estão abertos em Indaiatuba, através do WhatsApp do departamento de fiscalização da Prefeitura, 19 99773-4701.

Em live no Facebook na última quarta-feira (13), Gaspar respondeu sobre o funcionamento e fiscalização dos comércios.

“O que estamos fiscalizando com mais veemência é alguns estabelecimentos que estão abusando, principalmente que vendem bebidas alcoólicas, estavam com delivery e drive-thru e passados alguns dias alguns já estão de portas abertas com mesa na frente e está achando que está tudo liberado. A fiscalização está notificando todos esses estabelecimentos que infelizmente começou a ter um certo abuso, isso gera aglomeração de pessoas. E se insistir vamos ter que autuar e partir para uma possível interdição”, disse Gaspar.  

“Acredito que na Morada do Sol concentra maior número de casos pela dificuldade da população, do comércio local como dito muita coisa aberta e sem regras de proteção e infelizmente uma falta de atenção da prefeitura quanto a fiscalização e informação a esses cidadãos. Espero que com esse cenário sejam tomadas as atitudes não punitivas, mas de adequação e higienização geral”. disse um morador em seu comentário no Facebook. Em resposta a prefeitura disse “A fiscalização está orientando. Se tiver alguma denúncia, por favor mande foto e endereço no WhatsApp 19 99773-4701”.

Já outra moradora disse “Não me surpreende em nada os maiores números serem da Morada do Sol, o maior bairro, e com mais gente nas ruas, dentro de supermercados nem se fala, aglomeração total, e sem fiscalização nenhuma”. Em resposta a prefeitura disse ”A fiscalização está fazendo seu trabalho, são mais de 5 mil comércios sendo fiscalizados. Fora isso, os fiscais fazem outros serviços também importante para a cidade, que é a fiscalização de mais de 30 mil terrenos para combater a dengue. A fiscalização está trabalhando e a população precisa fazer a sua parte. Você pode denunciar os comércios no WhatsApp 19 99773-4701”.  

Na semana passada Indaiatuba novamente atingiu sua pior marca de isolamento social na sexta-feira (15), de apenas 47%. Segunda a administração municipal, a taxa de isolamento em Indaiatuba deveria ser acima de 66% e nas próximas semanas será o pico da doença.

Foto: Reprodução/Facebook

5 comments

  • Não é só comércio tbm as igrejas porq umas fechadas e outras abertas principalmente todas as assembléias de Deus .se a lei vale pra um tem que valer pra todos .isso que revolta as assembléias não fechou nenhum dia está lotadas de gente por isto tem costas quentes é isso .

  • Que adianta interditar os comércios, você passa no parque ecológico aquele estacionamento lotado de gente, sem contar lá naquela avenida nova dos condomínios, fazem filas de carros e gente bebendo e fumando.

  • Um membro da família da minha amiga tem um bar e ligou na prefeitura para saber se podia funcionar e a resposta que recebeu **da prefeitura** foi Pode sim, fica tranquilo, ninguém está fiscalizando”.

Deixe uma resposta