Toyota suspende produção no País

Cidades

Com a aceleração da pandemia de coronavírus no Brasil e seu impacto social e econômico, a Toyota suspendeu na terça-feira (24) a produção de suas quatro plantas industriais no País, entre as quais a de Indaiatuba. Da unidade local, 1.647 funcionários entraram em férias coletivas na terça-feira (24), com retorno previsto para 6 de abril. Os colaboradores do setor administrativo estão em home office (trabalho remoto).
Segundo a empresa, a decisão foi tomada “com base na segurança dos funcionários e em consideração às pessoas que atualmente lidam com esse surto, além de seguir as diretrizes das autoridades locais.” A nota também fala em “evitar ao máximo aglomerações e circulação de pessoas, associada ao quadro de incerteza do mercado brasileiro no curto prazo, além das dificuldades na cadeia logística e de suprimentos, que devem se agravar nas próximas semanas.”
A montadora fabrica em Indaiatuba o sedã médio Corolla. As demais unidades industriais afetadas estão em São Bernardo do Campo, Sorocaba e Porto Feliz. De acordo com a empresa, o fornecimento de peças para reposição de veículos, incluindo aqueles utilizados por órgãos públicos, continua normalmente.
Desde o início do surto no Brasil, a Toyota promoveu uma série de ações com o intuito de alertar, orientar e atenuar os efeitos da pandemia em seus colaboradores e de seus familiares. Dentre elas estão um guia com informações sobre o Covid-19, o fechamento dos centros de visitantes até o fim de março, o cancelamento de viagens e de visitas de executivos de fora do Brasil.

John Deere
A John Deere anunciou a paralisação de suas fábricas, entre as quais a de máquinas de construção, em Indaiatuba, a partir de segunda-feira (30). O cronograma de reorganização de operações no Brasil, para contribuir na contenção da curva de contaminação pelo novo coronavírus e visando proteger a saúde dos funcionários e suas famílias, foi anunciado na terça-feira (24). Segundo a empresa, os demais colaboradores trabalharão normalmente em regime remoto.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta