Maestrina de Indaiatuba assume cargo de assistente na Argentina

Cultura

A maestrina Natália Larangeira, de Indaiatuba, foi selecionada para o cargo de regente assistente da Orquestra Filarmônica de Buenos Aires (OFBA) e deverá assumir a nova posição a partir de março. Natália será assistente do maestro Enrique Arturo Diemecke, regente titular e diretor geral artístico e de produção do Teatro Colón (Buenos Aires/Argentina).
O processo seletivo contou com a inscrição de regentes do mundo todo e apenas oito deles foram convocados para a prova presencial. A OFBA é considerada uma das principais orquestras da América Latina e tem em sua programação regentes e solistas internacionais renomados. “É uma grande oportunidade”, afirma Natália, que possui carreira artística como regente convidada de ópera, coro, orquestra e professora em cursos e festivais.
Natália mudou-se esta semana para Buenos Aires. Como tem concertos marcados no Brasil, ela continuará vindo ao país. Em 2013, a maestrina fundou a Associação Camerata Filarmônica de Indaiatuba, responsável pela manutenção de uma orquestra de cordas profissional, duas orquestras didáticas, um quarteto de cordas e o projeto social Camerata Comunidade, que este ano passará a atender cerca de 400 crianças e jovens com aulas de coro, musicalização infantil e ensino coletivo de cordas friccionadas.
Apesar da nomeação para o cargo na Argentina, a maestrina continua na direção artística e regência dessas orquestras. “É importante manter as ações e concertos já programados na nossa temporada e promover o intercâmbio cultural entre o projeto e iniciativas de orquestras profissionais”, comenta Natália. “Todos estão muito animados porque agora a Camerata passa a ter uma regente com carreira internacional e isso aumentará a visibilidade dos projetos que desenvolvemos em Indaiatuba.”

Experiência
Natália foi regente assistente da Orquestra Sinfônica de Santo André, onde teve oportunidade de trabalhar com o maestro Abel Rocha. Para a maestrina, essa experiência foi “a grande escola” para a função do regente. “Vai muito além da preparação do repertório para concertos e compreende, sobretudo, a criação de soluções para as demandas administrativas e artísticas de uma orquestra profissional”, explica. Devido à nova agenda de compromissos, a maestrina deixará o cargo de assistência e passará a colaborar em outras funções.
Paulistana, Natália iniciou seus estudos no Conservatório Arte Musical de Osasco. Formou-se em regência com os maestros Abel Rocha e Naomi Munakata. Dentre as principais orquestras regidas por ela destacam-se: Filarmônica de Minas Gerais, Instituto Superior de Arte do Teatro Colón (Argentina), Jovem do Estado de São Paulo, Theatro São Pedro, Szolnok Symphonic Orchestra (Hungria), Opera de Baugè (França), Atlantic Coast Orchestra (Portugal), Bohuslav Martinu (República Tcheca) e Sinfônica de Piracicaba, dentre outras.
Aos 32 anos, Natália cursa o mestrado em performance em música pela Universidade de Campinas (Unicamp), atividade acadêmica que pretende conciliar com as demandas artísticas do novo cargo.

Foto: Lilian Larangeira

Deixe uma resposta