Cidade alcança 70% de cobertura vacinal contra a influenza na Campanha Nacional

Cidades

Para incentivar a vacinação a Secretaria de Saúde fará neste sábado (25) a vacinação contra a influenza na Praça Dom Pedro II

A 21ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza está em andamento desde o dia 10 de abril e seguirá até o dia 31 de maio nas Unidades de Saúde. Até o momento Indaiatuba já alcançou 69.96% do público alvo para receber a imunização, a meta é de 90% em cada grupo. A vacina é destinada para gestantes; mulheres com 40 dias de pós-parto; crianças de 6 meses a menores de seis anos de idade; trabalhadores de saúde; idosos com mais de 60 anos; professores de escolas públicas e privadas; pessoas com doenças crônicas e outras condições clínicas especiais.
De acordo com o Departamento de Vigilância e Saúde já foram aplicadas 42.006 doses até o último levantamento realizado na quarta-feira (22). Os grupos que ainda precisam de atenção são as crianças e gestantes e que alcançaram até o momento 52,60% e 58,45% respectivamente. Para trabalhadores de saúde a cobertura está em 73,68%; a vacinação para os idosos já atingiu 84,62% e para as puérperas já alcançou 100%.
Para incentivar a vacinação a Secretaria de Saúde fará neste sábado (25) a vacinação contra a influenza na Praça Dom Pedro II. Uma equipe ficará disponível das 8h às 13h e para ser vacinado é preciso levar a carteirinha de vacinação (se tiver); documento pessoal com foto e identificação que faz parte de algum desses grupos prioritários, como: carta médica, holerite ou identificação profissional.

Sintomas e Prevenção
Indivíduos que apresentem sintomas de gripe devem: evitar sair de casa durante o período de transmissão da doença (até 7 dias após o início dos sintomas); restringir ambiente de trabalho para evitar disseminação; evitar aglomerações e ambientes fechados, procurando manter os ambientes ventilados; e adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.
Para prevenir a doença, o Ministério da Saúde recomenda à população medidas gerais de proteção, como a constante lavagem das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento, e a adoção da etiqueta respiratória, que consiste em espirrar na parte de dentro dos cotovelos e cobrir a boca ao tossir, visando à redução do risco de infecção pelo vírus. Também não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas. É importante alertar para sinais e sintomas de gravidade para a busca imediata de avaliação em uma unidade de saúde.

Cepas da vacina contra influenza
Em relação ao ano passado (2018), houve alteração de duas cepas (cepas A/Switzerland/8060/2017 (H3N2) e B/Colorado/06/2017 (linhagem B/Victoria/2/87) na vacina influenza. Portanto, em função desta mudança na composição da vacina, é imprescindível receber a vacina em 2019, com as cepas preconizadas pela OMS para o Hemisfério Sul. O Ministério da Saúde não indica a utilização da vacina contra influenza com cepas 2018 pois não tem a mesma composição da vacina de 2019, o que faz com que não seja eficaz para proteção.

Deixe uma resposta