Orquestra Sinfônica apresenta Ópera de Puccini

Cultura

A Orquestra Sinfônica de Indaiatuba em parceria com o grupo Ópera Estúdio da Unicamp trazem pela primeira vez à cidade a montagem da ópera “Gianni Schicchi”, do compositor italiano Giácomo Puccini. Serão duas apresentações, no sábado (17) e domingo (18) às 20 horas no CIAEI. A entrada é gratuita e por ordem de chegada.
A obra é uma comédia escrita há exatamente cem anos, mas com uma temática que continua atual: a ganância. Puccini foi buscar inspiração em Dante Alighieri e na Divina Comédia para compor o personagem principal que dá nome a ópera. O compositor faz um retrato cômico e sarcástico ao apresentar a morte de Buoso Donati, cercado por seus parentes que lá se encontram não para chorar pela sua morte e sim para ver quem ficará com a herança. Mas para levar adiante seus planos precisarão da ajuda de Gianni Schicchi, uma espécie de falsário.
“É uma espetáculo leve e irreverente, mas que também possui um dos momentos de maior lirismo da história da música operística”, conta o maestro Paulo de Paula se referindo à famosa ária “O Mio Babbino Caro”, considerada uma das mais belas obras de Giacomo Puccini. Feita especialmente para a voz feminina, a obra foi imortalizada quando interpretada pela premiada e respeitada Maria Callas e, posteriormente, por Montserrat Caballé. “É um programa perfeito para amantes da música e também para aqueles que nunca tiveram a oportunidade de assistir uma ópera”, finaliza o maestro.
Com direção musical do maestro Paulo de Paula e direção cênica de Felipe Venâncio, a montagem é fruto desta parceria com o grupo Ópera Estúdio da Unicamp, núcleo de formação de cantores líricos que tem como diretor o professor Ângelo Fernandes. Com cenários, luzes e efeitos visuais, todo o texto da ópera também terá tradução simultânea.

Ópera Estúdio Unicamp

Criado em 2012, o Ópera Estúdio Unicamp é formado por estudantes de canto e jovens cantores de cursos de graduação e pós-graduação, tem amplamente desenvolvido atividades pedagógicas em canto e atuação, de performance nas montagens de óperas e de pesquisa, e tem sido um laboratório para projetos do Programa de Pós-Graduação em Música do Instituto de Artes da Unicamp.

Deixe uma resposta