Empresa de Indaiatuba oferece tecnologia de capina elétrica

Cidades

Da mesma forma que o carro elétrico vem ganhando espaço nas mais importantes cidades do mundo por não gerar poluição onde há maior concentração de pessoas, preservando sua saúde, um equipamento de capina elétrica já é também uma realidade em utilização urbana justamente por seu viés sustentável. Fabricado em Indaiatuba pela multinacional Zasso™, o dispositivo combate com mais eficiência as plantas indesejadas e ervas daninhas que com frequência invadem calçadas de ruas e avenidas.
Com inédita tecnologia mundial, o equipamento Thor realiza a capina elétrica permitindo o controle de plantas daninhas, respeitando as crescentes restrições de órgãos reguladores como a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), ao uso de herbicidas nocivos ao ambiente urbano e rural.
O Thor utiliza descargas elétricas controladas de alta tensão para eliminar os brotos e raízes mais profundas, que geralmente não são atingidas pelos herbicidas comuns. As descargas são ajustadas para erradicar as plantas sem causar nenhum prejuízo ao solo, à fauna e à flora local – tendo como foco somente as ervas daninhas a serem eliminadas.
Este novo método já comprovou sua maior eficiência em aplicações urbanas, rodoviárias e agrícolas de diversos países da Europa, e começou a ser testado também por algumas prefeituras de municípios brasileiros.
O acompanhamento dos testes pela administração municipal da Capina Elétrica Thor foram realizados entre os dias 13 e 17 de julho, nas calçadas de ruas e avenidas de Indaiatuba. Foram escolhidas áreas que estavam mais tomadas por plantas indesejadas. A aplicação incluiu ainda um trecho da mais utilizada ciclovia da cidade, cuja invasão de capim alto no asfalto era um risco aos usuários. O resultado foi a eliminação, de forma ecologicamente correta, das ervas e plantas invasoras.
O novo serviço de manutenção e limpeza das inúmeras pragas de ruas que nascem com frequência nas calçadas e diversos outros locais está sendo oferecido em Indaiatuba numa parceria entre a Zasso™ e a Corpus Saneamento e Obras, empresa que já cuida da limpeza da cidade. Tem tudo para dar certo, conforme adianta Emílio Garnham, diretor comercial da fábrica do equipamento elétrico.
“A capina manual ou até aquela proibida em usos urbanos com agrotóxicos, que algumas cidades ainda processam, são muito mais lentas e acabam sendo bem mais caras que este novo tipo de serviço que estamos oferecendo. Acoplado a um trator ou caminhão, a nossa Capina Elétrica chega até a atingir 1,5 metro de profundidade e mata de vez a planta incômoda por aquecimento e evaporação de toda a sua parte líquida”, explica Emílio.
O diretor comercial da Zasso™ frisa ainda outras vantagens do novo sistema. Segundo ele, “com a eliminação definitiva da planta invasora, ao contrário da capina manual que atinge só a superfície e dura apenas 20 dias, a elétrica chega a ficar de 70 a 90 dias sem precisar de outro repasse. Assim, a economia gerada chega a ser de 5 a 10 vezes por custo hora/m² em favor do nosso equipamento, dependendo da execução da capinagem”.
Por todas essas vantagens e sem prejudicar em nada o meio ambiente, Emílio Garnham acredita que o novo serviço deva ser logo implantado na cidade.

Foto: Votura IndaiatubaNews/Grupo RVC

Deixe uma resposta