Caso de coronavírus em SP alerta autoridades

Cidades

Seis pessoas são monitoradas na região; até ontem, Indaiatuba não tinha nenhum paciente suspeito de infecção

A confirmação do primeiro caso do novo coronavírus no Brasil, em São Paulo, mobilizou autoridades de saúde para ações de prevenções e alerta junto à população. A informação correta tem sido a principal estratégia. Embora a tendência seja de crescimento no número de casos suspeitos e confirmados, os agentes públicos ressaltam que não há motivo para pânico. Na região de Campinas, cinco pessoas estão sendo monitoradas. Em Indaiatuba, nenhum caso suspeito havia sido confirmado até o fechamento desta edição.
O governo do Estado criou um centro de contingência para monitorar e coordenar ações contra a propagação do coronavírus em São Paulo.
O primeiro caso de Covid-19 foi diagnosticado na terça-feira (25), em um paciente do Hospital Albert Einstein que esteve na Itália. Depois de apresentar tosse e febre, o homem está em isolamento domiciliar. Ao apresentar esses sintomas, a orientação é que a pessoa procure o serviço de saúde mais próximo. O Departamento de Vigilância da Secretaria de Saúde de Indaiatuba informa que toda rede de saúde está em alerta para os protocolos de possíveis casos suspeitos na cidade.
Além da Itália, Austrália, China, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Camboja, Filipinas, Japão, Malásia, Vietnã, Singapura, Tailândia, Alemanha, França, Irã e Emirados Árabes Unidos estão na lista de locais de origem ou transição definida pelo Ministério da Saúde. A mudança levou em conta o aumento de casos registrados fora do território chinês.
Além dos sintomas como febre, dificuldade para respirar, tosse ou coriza é preciso observar outros aspectos epidemiológicos, como histórico de viagem em área com circulação do vírus ou mesmo contato próximo a algum caso suspeito. O site www.saude.gov.br/coronavirus concentra informações atualizadas sobre o tema.

Região
Seis pessoas são acompanhadas pelos órgãos de saúde na região de Campinas. Elas mantiveram contato com o homem de 61 anos confirmado como o primeiro caso de coronavírus no Brasil. Três delas são de Vinhedo e duas de Valinhos. Todas estão em isolamento domiciliar. Um morador de Campinas, que estava no mesmo voo do paciente, vem sendo monitorado.

Vacinação
Após o primeiro caso confirmado de coronavírus no País, a campanha de vacinação contra a gripe poderá ser antecipada. A informação é do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. A vacina contra gripe não previne contra o coronavírus. As autoridades, porém, avaliam que a imunização facilita o diagnóstico para separar os casos quando há sintomas como febre e tosse. A vacinação está prevista para começar entre a última quinzena de março e o início de abril.

CUIDADOS BÁSICOS
• Lavar frequentemente as mãos usando álcool em gel ou água e sabão, especialmente após contato com pessoas doentes e antes de se alimentar
• Quando tossir ou espirrar, cobrir a boca e o nariz com as mãos ou lenços descartáveis
• Evitar o contato próximo com quem tiver febre e tosse
• Em caso de febre, tosse e dificuldade para respirar, buscar ajuda imediata e compartilhar o histórico de viagens com os profissionais de saúde
• Manter os ambientes ventilados
• Evitar tocar nos olhos, nariz e boca

Aumenta procura por álcool em gel
Mesmo sem casos suspeitos ou confirmados em Indaiatuba, farmácias e drogarias consultadas pelo Indaiatuba News/Votura registram aumento na procura por álcool em gel esta semana. O motivo apontado foi a confirmação do primeiro caso no Brasil de Covid-19, a doença causada pelo novo vírus.
Dos oito estabelecimentos pesquisados, todos confirmaram maior procura pelo produto. A maioria deles – no Centro, Cidade Nova, Vila Vitória e Jardim Morada do Sol – dispunha da embalagem menor (300 ml) para venda. Um dos gerentes de uma farmácia no Centro informou que o estoque duraria até a próxima semana e que estaria providenciando reposição.
O álcool em gel tem sido muito usado desde o surto da gripe H1N1. Estudos comprovam que o coronavírus não resiste à substância, assim como nenhum vírus de gripe. Quanto às máscaras de proteção, o uso ainda não é recomendado, já que o primeiro caso confirmado veio do exterior.

Foto: Reprodução

Deixe uma resposta